Notícias

Pedro Lencart vence Open XiraGolfe 2022

O português de 21 anos sofreu um pouco na última volta do 2.º Open XiraGolfe, pois viu a sua vantagem de 7 pancadas diminuir para apenas 2 ‘shots’ face a Pedro Almeida, mas acabou por vencer o torneio de 20 mil euros em prémios monetários por 3 pancadas, com um total de 210, 6 abaixo do Par do Ribagolfe Lakes, em Benavente, após voltas de 71, 65 e 74.

«A pior altura para mim foi ali no buraco 12. O Pedro tinha um putt de uns dois metros para ficar a apenas 1 pancada, mas falhou e depois, a partir daí fiz mais 3 birdies», disse o profissional do Penina Hotel & Golf Resort, em Lagos, depois de embolsar um prémio de 3.200 euros.

Esse foi, de facto, o momento-chave da última volta.

Pedro Lencart vinha de dois bogeys seguidos, nos buracos 11 e 12, já tinha sofrido um duplo-bogey no 8 e bogeys no 3 e no 4, para apenas 3 birdies no 6, 7 e 10.

Pedro Almeida, por seu lado, partira 7 pancadas atrás do líder, mas animou com 1 eagle no 2 e 1 birdie no 6, face a 2 bogeys (4 e 9).

Aquele buraco 12 foi mesmo decisivo. Ao falhar o birdie, Almeida, do Belas Clube de Campo, perdeu o ímpeto, já só fez mais 1 birdie, no 16, enquanto Lencart aproveitou para mostrar que no ‘back nine’ reinava ele.

Pedro Lencart já tinha ganho este ano um dos torneios do Circuito da FPG no Oporto Golf Club, em Espinho, e triunfou agora no Ribagolfe Lakes.

«Dois campos que não têm nada a ver na forma de jogar e na estratégia. Significa que consigo levar o meu jogo a diferentes tipos de campos», disse o profissional que, enquanto amador, representou o Club de Golf de Miramar, em Vila Nova de Gaia.

«Vem aí um torneio importante para a semana e não quero que dê azar», disse quando interpelado sobre a sua invencibilidade em 2022 a nível nacional, referindo-se ao Campeonato Nacional Absoluto Hyundai, noutro campo do Grupo Orizonte, na Aroeira.

A concorrência será forte e Pedro Almeida será um dos candidatos. O antigo campeão nacional de amadores quer agora o título de profissionais.

«Claro que é um sonho. Tudo é um objetivo e vamos trabalhar para isso», disse, depois de somar voltas de 75, 68 e 70, para um agregado de 213 (-3) e um prémio de dois mil euros.

«Estou satisfeito com o 2.º lugar no Open XiraGolfe. Já no ano passado, neste torneio, estive perto da vitória, fiquei a 1 pancada do ‘play-off’. Gosto do torneio e dou os parabéns ao Xiragolfe e à PGA de Portugal porque o torneio esteve bem organizado», acrescentou Pedro Almeida.

O melhor espanhol foi Vicente Blázquez, no 3.º lugar, com 216 (74+72+70), a Par do campo, que recebeu 1.600 euros.

Só houve dois jogadores a ficarem abaixo do Par e só houve quatro a baterem o Par em dois dos três dias.

Aos 47 anos mostrou que é ainda muito competitivo, arrancou o seu segundo top-5 no circuito da PGA de España de 2022 em três torneios disputados e está claramente na luta pelo topo do ranking no país vizinho.

«Foi preciso paciência, ir melhorando o resultado em cada dia e essa foi a tática. Aqui é preciso muita paciência. Neste campo é preciso jogar muito bom golfe para fazer-se resultado. Quando vi o calendário e vi que seria aqui, disse logo, bom, vou ali seguro. Lembrava-me de ter jogado aqui muitas vezes a Escola de Qualificação do DP World Tour», comentou o madrileno.

No último dia houve quatro jogadores a baterem o Par-72 do campo. Para além de Pedro Almeida e Vicente Blázquez, também Tiago Cruz (-2) e Miguel Gaspar (-3) com o melhor resultado do dia.

Cruz vendeu cara a derrota do título conquistado há um ano em Santo Estêvão e terminou em 4.º (+1), empatado com o espanhol Nicolas Gutierrez) e Gaspar (+6) fechou o top-10 com o inglês radicado no Algarve, George Ounstead.

O 6.º posto (+2) foi partilhado pelo português Hugo Santos e o espanhol Gonzalo Vicente e o 8.º lugar (+4) foi dividido entre o português João Ramos e o andorrenho Kevin Esteve.

A melhor jogadora foi a ex-tetracampeã nacional Susana Ribeiro, no 16.º posto (+12), enquanto o melhor amador foi Filipe Salazar de Sousa, na 17.ª posição (+13), empatado com o argentino Luis Gregorio e o líder do primeiro dia, Francisco Oliveira.

«Estamos muito satisfeitos e estamos já em conversações para o próximo ano, porque este torneio tem muito futuro. E, de acordo com as conversações que já tivemos com o XiraGolfe e a PGA de Portugal, os sócios da PGA de Portugal já podem jogar torneios da PGA de España em 2022», disse Ander Martinez, o presidente dos profissionais espanhóis.

«Estamos muito felizes por termos um campo que agradou a todos, de um nível bastante alto e desafiante. Durante os três dias, falei com quase todos os jogadores e vários espanhóis que não conheciam o campo disseram-me que era dos melhores em que já jogaram», comentou Petya Rozenova, a diretora de golfe do Ribagolfe.

O 2.º Open XiraGolfe termina amanhã (Domingo) com o Pro-Am Cimpor, no campo de Santo Estêvão Golfe, a partir das 8h30.

 

Gabinete de Imprensa da PGA de Portugal

Benavente, 23 de julho de 2022

Fotografia © Rui Frazão