Notícias

Calendário nacional de 2022 recheado com quase 120 provas

E se aos eventos da FPG somarmos o Portugal Masters (ainda por confirmar), pelo menos três torneios nacionais de profissionais organizados por outras entidades e ainda o novo Portugal Tour (um circuito profissional internacional no Algarve), o total de torneios de golfe para alta competição em Portugal, em 2022, deverá aproximar-se dos 120.

O calendário federativo pode dividir-se em sete grandes setores que cobrem praticantes de todas as faixas etárias: Campeonatos Internacionais, Campeonatos Nacionais, Circuito da FPG, Circuito Mid-Amateur, Drive Tour/Campeonato Nacional de Jovens, Drive Challenge e Pitch & Putt.

Destaca-se também uma intensa atividade de seleções nacionais de todos os escalões etários, tanto de seleções amadoras, como o recente projeto da seleção nacional de profissionais; e haverá ainda, cada vez mais, participações de jogadores portugueses em competições internacionais, tanto em circuitos amadores como nos principais circuitos profissionais.

«Iremos ter, sensivelmente, um calendário muito semelhante ao de 2021, com a grande diferença de 2022 ser um ano de Campeonato do Mundo», sublinhou João Coutinho, o diretor-técnico nacional da FPG.

Com efeito, o “World Amateur Team Championships” irá decorrer em França, nos arredores de Paris, no percurso Albatros do Le Golf National e ainda no Red Course do Golf de Saint-Nom-La-Brèteche.

O Mundial feminino, a 29.ª edição do Espírito Santo Trophy, realiza-se de 24 a 27 de agosto, enquanto o Mundial masculino, a 32.ª edição do Eisenhower Trophy, desenrola-se de 31 de agosto a 3 de setembro.

 

Open de Portugal e Portugal Masters

O ponto alto de 2022 será o Open de Portugal at Royal Óbidos, pelo terceiro ano consecutivo naquele campo de Óbidos, desenhado pelo saudoso Seve Ballesteros. O único torneio português do Challenge Tour, que atrai sempre a elite da segunda divisão europeia do golfe profissional, está agendado de 15 a 18 de setembro.

O Open de Portugal, um torneio da FPG, poderá eventualmente vir a ser considerado o mais importante evento português de golfe em 2022, porque o Portugal Masters ainda não foi incluído no calendário de 2022 do DP World Tour (o antigo European Tour).

Há, contudo, uma vaga por preencher no calendário do DP World Tour entre 20 e 23 de outubro e, recorde-se que, em 2021, o Portugal Masters só foi definitivamente confirmado cerca de dois meses antes da sua realização. O mesmo poderá suceder em 2022.

 

Campeonatos Internacionais Amadores de Portugal

Logo no início do ano, como é habitual, os 92.ºs Campeonatos Internacionais Amadores de Portugal irão inaugurar o calendário da Associação Europeia de Golfe (EGA), no Montado Hotel & Golf Resort, em Palmela.

O torneio feminino entre 26 e 29 de janeiro e o masculino de 9 a 12 de fevereiro. Tradicionalmente, muitos dos melhores amadores europeus viajam a Portugal para esses dois torneios.

A importância do Campeonato Internacional Amador de Portugal para os melhores amadores portugueses, que podem ali amealhar importantes pontos para o ranking mundial – como se verificou em anos recentes, com os triunfos de Vítor Londot Lopes e Daniel da Costa Rodrigues, respetivamente em 2018 e 2019 –, faz com que a FPG procure proporcionar-lhes a melhor preparação possível.

 

Circuito FPG e outros torneios profissionais

Nesse sentido, foi agendado logo para 5 e 6 de fevereiro o 1.º Torneio do Circuito FPG, no Montado, três dias antes do Campeonato Internacional Amador de Portugal Masculino.

«Essa prova irá servir para preparar o campo e os jogadores para o Internacional Amador. A decisão de fazer esse torneio no Montado seguiu essa estratégia», confirmou João Coutinho.

O Circuito da FPG sempre reuniu os melhores amadores que jogam em Portugal, mas desde 2021 que subiu um patamar qualitativo ao passar a integrar também os jogadores profissionais. Tornou-se na nova joia do calendário da FPG e a experiência de 2021 foi extremamente positiva.

«Correspondeu totalmente às nossas expectativas, chamando a atenção dos melhores profissionais portugueses. É um circuito muito apetecível e tem um enorme potencial de crescimento, sobretudo se viermos a conseguir um patrocinador de peso. Em contexto de pandemia teve ainda o papel importante de darmos mais oportunidades de jogo aos profissionais portugueses», explicou o diretor-técnico nacional.

A força deste renovado circuito comprova-se pelo facto de, em 2021, quatro dos cinco torneios terem sido ganhos por jogadores que detêm o estatuto de campeões nacionais de profissionais: Hugo Santos (2012), Pedro Figueiredo (2013), Tomás Silva (2018 e 2019) e Pedro Lencart (2021). Houve também duas provas ganhas por antigas campeãs nacionais de profissionais: Leonor Bessa (2018 e 2020) e Susana Ribeiro (2015, 2016, 2017, 2019).

Em 2022 cada um dos cinco torneios irá oferecer de novo 7.500 euros em prémios monetários e todos atribuem pontos para o ranking da seleção nacional de profissionais, que depois funciona como o critério fundamental na atribuição de convites para torneios do Challenge Tour, incluindo o Open de Portugal at Royal Óbidos.

O Oporto Golf Club, em Espinho, recebe o 2.º Torneio a 2 e 3 de abril; o Boavista Golf & Spa, em Lagos, acolhe o 3.º Torneio a 4 e 5 de junho; o Ribagolfe Lakes, em Benavente, aloja o 4.º Torneio a 24 e 25 de setembro; e o Quinta do Peru Golf & Country Club, em Azeitão, encerra o Circuito FPG nos dias 19 e 20 de novembro.

O Montado será o único campo a repetir a sua presença no Circuito FPG e pela razão já avançada. É certo que em 2021 houve uma etapa no Ribagolfe, mas no percurso Oaks. «Há uma certa preocupação de distribuição geográfica, com provas no Norte, Centro e Sul», afiançou João Coutinho.

Em 2022 poderemos vir a ter mais torneios com profissionais para além dos cinco já anunciados. «Estamos em negociações com clubes interessados em terem torneios com profissionais. Se vierem a concretizar-se, integrarão o circuito», garantiu João Coutinho.

Note-se que para além destas competições organizadas pela FPG, haverá em 2022 pelo menos mais três torneios dedicados aos profissionais: o já tradicional Open Pro-Am da Ilha Terceira, nos Açores, que vai celebrar uma bonita 40.ª edição; o Open Xiragolfe, em Santo Estêvão e Ribagolfe, que nesta sua segunda edição terá a curiosidade de tornar-se internacional, abrindo-se a estrangeiros; e o 3.º PGA Portugal Players Championship, que ainda não tem campo marcado mas irá jogar-se no início de dezembro.

Estes dois últimos torneios serão organizados pela PGA de Portugal. Todas estas provas contam para o ranking da seleção nacional de profissionais e recebem também alguns jogadores amadores.

Embora a entrada dos profissionais tenha sido uma mais valia em 2021, o Circuito FPG continua a ser uma peça vital no desenvolvimento dos melhores amadores portugueses.

Em 2022, para além dos cinco torneios já programados, o Circuito FPG irá integrar ainda quatro torneios de clubes tradicionais portugueses, exclusivamente para amadores: A Lisbon Cup, no Lisbon Sports Club, em Belas, a 21 e 22 de maio; a Taça R.S. Yeatman, no Club de Golf de Miramar, em Vila Nova de Gaia, a 28 e 29 de maio; o Aberto do Estoril, no Club de Golf do Estoril, em Cascais, a 25 e 26 de junho; e a Taça Mendes d’Almeida, no Vidago Palace Hotel, em Chaves, a 20 e 21 de agosto.

 

Campeonato Nacional Absoluto Hyundai

Claro que para os melhores jogadores portugueses um dos picos da temporada é o 89.º Campeonato Nacional Absoluto Hyundai, um evento reforçado em 2020 com a presença de profissionais.

Desde 2021, esta grande prova da FPG deu outro salto em frente e passou a atribuir também os títulos de campeões nacionais de profissionais, para além dos estatutos de campeões nacionais amadores. São também proclamados campeões nacionais absolutos os primeiros classificados de cada género.

Em 2021 os campeões nacionais absolutos foram a amadora Sofia Barroso Sá e o profissional Pedro Lencart. Em 2020 tinham sido Leonor Bessa e Ricardo Melo Gouveia.

Em 2022 a prova mantém os 20 mil euros em prémios monetários e regressa ao Aroeira Pines Classic, na Costa da Caparica, de 27 a 30 de julho. A última vez que o Campeonato Nacional Absoluto Hyundai tinha viajado ao então designado campo n.º1 da herdade da Aroeira foi em 2013, tendo sido coroados Susana Ribeiro e Pedro Almeida. Na altura o torneio era só para amadores.

A grande novidade é a Aroeira ir receber pela primeira vez um Campeonato Nacional de Profissionais. O antigo selecionador nacional, Sebastião Gil, um dos fundadores da PGA de Portugal, em 1990, garante que «ao longo dos anos houve vários torneios de profissionais na Aroeira, mas nunca o Campeonato Nacional». Claro que antes da PGA de Portugal houve outra associação de profissionais nos anos 80 do século XX, a APGP, mas não temos registos históricos desses tempos.

É, por isso, provável que venha a ser o primeiro Campeonato Nacional de Profissionais na Aroeira, um campo histórico, que foi palco do Open de Portugal do European Tour, do Portugal Ladies Open do Ladies European Tour e do Europeu de Clubes no setor masculino em 2013, ganho então pelo Clube de Golfe de Vilamoura.

 

Taça da FPG/BPI e Campeonato Nacional de Clubes/Solverde

O Campeonato Nacional Absoluto Hyundai é um dos Majors da FPG. Os outros Majors são a Taça da FPG/BPI e o Campeonato Nacional de Clubes/Solverde. A Taça da FPG/BPI, que funciona como um autêntico campeonato nacional de match play, decorrerá de 1 a 5 de Outubro na Quinta do Peru. No ano passado, em Espinho, os vencedores foram Ivete Rodrigues e João Maria Pontes.

O 59.º Campeonato Nacional de Clubes/Solverde disputa-se de 1 a 4 de setembro, no Montado. Em 2021, em Vidago, consagraram-se o Club de Golf de Miramar (no setor feminino) e o Oporto Golf Club (no masculino).

As equipas vencedoras irão apurar-se depois para os Campeonatos da Europa de Clubes, sendo que o “European Men’s Club Trophy” (masculino) disputa-se pelo segundo ano seguido em Troia, de 20 a 22 de outubro. O “European Ladies’ Club Trophy” realiza-se de 29 de setembro a 1 de outubro no CUBO Golf, na Eslovénia.

 

Uma dúzia de Campeonatos Nacionais

Ao todo, haverá em 2022 uma dúzia de campeonatos nacionais. Em 11 deles os títulos a serão homologados após um único torneio. Situação bem diferente é a do Campeonato Nacional de Jovens (dos sub-12 aos sub-18), que resulta de um circuito anual, o Drive Tour.

João Coutinho explica que «a grande novidade deste ano será haver um único Campeonato Nacional de Pares, que irá incorporar também os pares seniores e os pares mistos. Os jogadores podem inscrever-se em simultâneo. Atribuiremos os títulos de pares e de pares seniores, mas o par pode ser misto, ou seja, composto por jogadores de géneros distintos. Contamos que esta medida faça crescer o número de participantes e que eleve o interesse na prova».

O Campeonato Nacional de Pares joga-se no Lisbon Sports Club a 5 e 6 de março. Os restantes campeonatos nacionais são os seguintes: CN de Clubes Seniores, no Aroeira Pines Classic, a 7 e 8 de maio; CN de Clubes sub-14 e sub-18, em Santo Estêvão, de 12 a 14 de abril; CN de Clubes Mid-Amateur/BPI, em Pinheiros Altos, a 18 e 19 de junho; CN Seniores, no Penina Hotel & Golf Resort, a 9 e 10 de julho; CN de Jovens sub-10, em Santo Estêvão, a 16 e 17 de julho; e o CN 3.ª e 4.ª Categorias, em Miramar, a 23 e 24 de julho.

Nesta lista, saúda-se o regresso de Pinheiros Altos ao calendário federativo, após alguns anos de ausência, com o significado especial de ser a sede da Delegação do Algarve da FPG.

Regista-se ainda que o Campeonato Nacional de Jovens no escalão de sub-10 coincide em Santo Estêvão com o 4.º Torneio do Drive Tour (com provas dos sub-12 aos sub-18), proporcionando aos jogadores do escalão etário mais baixo o contacto com os mais velhos, com um nível superior. Será um dos momentos altos do calendário juvenil português.

 

Drive Tour e Drive Challenge

O Drive Tour/Campeonato Nacional de Jovens compreende seis torneios espalhados pelo país e desemboca na Final Nacional, no Montado, a 12 e 13 de novembro, onde serão atribuídos os títulos de campeões nacionais femininos e masculinos de sub-12, sub-14, sub-16 e sub-18.

Também para jovens, mas com um nível de jogo inferior, com handicaps mais elevados, organiza-se o Drive Challenge numa lógica regional. Realizam-se circuitos nas zonas Norte, Centro, Tejo, Sul, Madeira e Açores. Cada um desses circuitos terá uma Final Regional. A Final Nacional está marcada para o Centro Nacional de Formação de Golfe do Jamor, em Oeiras, no dia 6 de novembro. Ao todo, o Drive Challenge oferece 46 torneios, entre fevereiro e novembro.

«Durante 2002 iremos estudar eventuais afinações ao Drive Challenge, de modo a preparar melhor os jogadores para ascenderem ao Drive Tour. Estamos também a trabalhar com a FADU (Federação Académica do Desporto Universitário) para um dia criarmos um escalão universitário, que fará o complemento entre a Final do Drive Tour e o Circuito Mid-Amateur», informou o diretor-técnico nacional.

 

Circuito Mid-Amateur

Com efeito, um dos escalões etários que tem estado em maior desenvolvimento nos últimos anos é o de Mid-Amateur, sobretudo por ter começado em 2021 a destinar-se aos jogadores com mais de 25 anos, depois de ter nascido apenas para os maiores de 35 anos. Essa mudança para os 25 cativou a atenção de uma série de praticantes de muito bom nível que tendiam a competir menos a nível federativo.

O Circuito Mid-Amateur está agora francamente em crescendo e tem o seu clímax no 5.º Campeonato Internacional de Mid-Amateur de Portugal, no Troia Golf, em Grândola, de 28 a 30 de outubro.

«Sentimos que é um torneio claramente em crescimento. Só a pandemia travou-o um pouco, mas temos consciência de que gerou muito interesse a nível internacional e iremos ter muito brevemente uma lista de espera para este campeonato», prevê João Coutinho.

Para os jogadores portugueses, a melhor preparação para este Internacional passa pelos já referidos torneios do Circuito FPG, mas, sobretudo, pelo Circuito Mid-Amateur composto por três etapas: a 19 e 20 de fevereiro no Benamor Golf, em Tavira; a 12 e 13 de março no Belas Clube de Campo, em Sintra; e a 21 e 22 de maio no Oporto, em Espinho.

Em 2021, o Road to Troia (ranking que soma pontos deste circuito, mais os campeonatos Nacional e Internacional do escalão) consagrou como n.º1 “Ouro” Marta Lampreia e Tiago Costa.

 

Circuito Pitch & Putt

Se o escalão de Mid-Amateur tem sido um sucesso de participação, a variante de Pitch & Putt tem revelado também um crescimento quantitativo e qualitativo. Aliás, há um par de anos, Portugal chegou a ter um jogador como n.º1 do ranking internacional, Hugo Espírito Santo, o jogador que em 2021, no Jamor, revalidou o título de campeão nacional de P&P.

Em 2022 o calendário de P&P contempla oito campeonatos nacionais e ainda 17 provas regionais, agregadas em quatro zonas que, na realidade, são regiões (Norte, Centro, Oeste/Lisboa e Sul). Os dois momentos mais relevantes desta modalidade são o Campeonato Nacional Absoluto de P&P, no Jamor, a 30 de abril e 1 de maio; e o Open de Portugal de P&P de 27 a 29 de maio, no Citygolf, em Matosinhos.

Tal como foi anunciado recentemente pela FPG, o Circuito de P&P passa a recorrer ao novo sistema de handicaps. «É inspirado no Sistema Mundial de Handicap. Anteriormente não se avaliava a dificuldade dos percursos, de acordo com os valores de homologação dos campos de P&P. Os handicaps foram, assim, recalculados», disse Ana Teresa Gabin, a diretora de Handicaps & Course Rating da FPG e ex-presidente da Comissão de Handicaps & Course Rating da Associação Europeia de Golfe (EGA).

«Como qualquer jogador de P&P compreende, jogar na Quinta das Lágrimas ou na Aldeia dos Capuchos não é a mesma coisa, pois há uma distância de cerca de 400 metros de diferença entre os dois campos», acrescentou João Coutinho.

 

Seleções nacionais em força

Para além do calendário nacional, os melhores portugueses estarão frequentemente a competir no estrangeiro. Há pelo menos 29 competições internacionais amadoras fora de Portugal, nos mais diversos escalões etários, que deverão contar com atletas portugueses via FPG.

Finalmente, a nível profissional, Ricardo Melo Gouveia tem uma categoria para jogar quase todo o DP World Tour, a primeira divisão europeia, na qual, estarão a nível parcial Ricardo Santos e Pedro Figueiredo, e em termos muito esporádicos, Filipe Lima.

No Challenge Tour, a segunda divisão europeia, Tomás Melo Gouveia será membro de plenos direitos, enquanto Tomás Bessa e Vítor Lopes conseguiram categorias parciais, indo também beneficiar de alguns convites negociados pela FPG junto dos promotores desses torneios. Outros jogadores, ao abrigo da seleção nacional de profissionais, receberão convites para o Challenge Tour.

Haverá ainda vários jogadores portugueses a competir nos circuitos satélites, as chamadas terceiras divisões do golfe europeu, sendo que, «para o ranking da seleção nacional de profissionais contam as prestações no Alps Tour e no Pro Golf Tour», como explicou o Treinador Nacional (selecionador), Nelson Ribeiro.

 

Gabinete de Imprensa da Federação Portuguesa de Golfe

Miraflores, 14 de janeiro de 2022

Fotografia © Ramiro Jesus / Federação Portuguesa de Golfe