Skip to main content
Lisbon Sports Club defende hegemonia no escalão mid-amateur

Lisbon Sports Club defende hegemonia no escalão mid-amateur

|

Campeonato Nacional de Clubes Mid-Amateur joga-se este fim-de-semana com 17 equipas na Quinta do Peru

Já houve o tempo (e muito tempo) em que o escalão de mid-amadores era para jogadores acima dos 35 anos. Em 2015 o limite etário desceu para os 30 anos. E, desde o início deste ano, para os 25, conforme decisão da European Golf Association. Será assim no Campeonato Nacional de Clubes Mid-Amateur deste fim-de-semana, na Quinta do Peru Golf & Country Club, em Azeitão, com 17 equipas participantes na prova masculina. Não há competição feminina, visto que apenas dois clubes se inscreveram (Quinta do Peru e Lisbon Sports Club) quando são necessários três no mínimo.
O que não muda é o natural favoritismo do Lisbon Sports Club, que procura revalidar o título em homens e manter e manter a hegemonia num escalão que tem dominado individual e colectivamente.

Devido à pandemia, o Campeonato Nacional de Clubes Mid-Amateur não se realizou em 2020, pelo que passaram já dois anos desde que o Lisbon recuperou ao Clube de Golf de Miramar o troféu que lhe pertenceu em 1998, 2016 e 2017. Na altura, no Aroeira II, também com 17 formações em campo, venceu de forma destacada, deixando a Aroeira, vice-campeã, a 24 pancadas do primeiro lugar. A Juvegolfe completou o pódio, a 27 shots do primeiro lugar. Aroeira e Miramar não estão em competição este ano.

Outra mudança em relação ao passado, esta por questões de segurança sanitária, prende-se com o número de jogadores por equipa. Costumavam ser seis, desta vez são apenas quatro. Assim, na primeira volta, em stroke play individual, vão somar para o resultado colectivo os três melhores resultados de cada quarteto – e já não os melhores cinco de cada sexteto. Quanto à segunda volta, mantêm-se os foursomes (jogo a pares, com uma só bola e pancadas alternadas), mas estes, naturalmente, são apenas dois e contam ambos para o resultado, quando antes era três contando os dois melhores. Os dois primeiros critérios de desempate são: 1) a soma mais baixa dos resultados dos foursomes; 2) O melhor resultado não utilizado na volta de stroke play.

Em relação à equipa campeã em título, mantêm-se José Maria Cazal-Ribeiro (handicap +1.6), Luís Costa Macedo (0.9) e Francisco Valente (3.8), e junta-se Gonçalo Costa (+1.7) – o que só reforça o poder do conjunto, já que é um internacional das selecções nacionais amadoras. Costa Macedo é o actual campeão nacional mid-amateur, Cazal-Ribeiro foi-o em 2017 e 2018 (não jogou em 2019) e é hoje o vice-campeão do escalão.

O Oporto Golf Club apresenta-se em força para tentar o seu primeiro título desde que venceu em 1994. Nas suas hostes, Manuel Violas Jr. (+1.6), Tomás Perkins (+1.2), Ricardo Soares (2.1) e Afonso Martins (4.6). Além de ser um antigo internacional português, Manuel Violas foi, em 2019, o sensacional vencedor do II Campeonato Internacional Amador de Portugal, no Troia Golf. Ricardo Soares foi campeão nacional absoluto em 2001, sucedendo nesse ano a José Maria Cazal-Ribeiro.

A jogar em casa, a Quinta do Peru (campeã em 2012, 2013 e 2014) é a terceira equipa com os handicaps mais baixos e faz-se representar por João Pinto Basto Jr. (+1.0), André Roquette (4.5), Francisco Spinola (1.4) e Miguel Miranda (0.6).

A JuveGolfe, que na última edição subiu ao pódio sendo terceira, alinha com Bruno Neto (7.2), Carlos Costa (3.4), Carlos Guimarães (8.0) e Luis Santos (8.7).

Recordista de vitórias (9) neste campeonato (1995, 1996, 1997, 200, 20021, 2002, 2005, 2006 e 2007), o Clube de Golfe do Estoril evoluirá com Bernardo Frere (1.6), Domingos Roque de Pinho (5.2), José Nuno Torgal (7.9) e Martim Ricciardi (5.5).

Outros antigos campeões presentes são o Clube de Golfe da Associação Barmen Portugal (1999 e 2003) e o Clube de Golfe da Ilha Terceira (2010) – e dos Açores veio outra equipa, a da Verdegolf, de São Miguel.

Os clubes participantes são os seguintes (por ordem alfabética): ABP, ACP Golfe, Belas, Estela, Estoril, Ilha Terceira, JuveGolfe, Lisbon, Oporto, Orizonte, Paço do Lumiar, Palmares, Quinta do Fojo, Quinta do Peru, Verdegolf, Vale de Janelas, Vidago Palace.

 

Golftattoo

Lisboa, 30 de abril de 2021

Fotografia © Filipe Guerra / Federação Portuguesa de Golfe

A Federação Portuguesa de Golfe é uma pessoa coletiva de direito privado e de utilidade pública, fundada em 20 de Outubro de 1949, constituída sob a forma associativa e sem fins lucrativos.

Morada

Rua Santa Teresa do Menino Jesus Nº6, 17º andar Miraflores 1495-048 Algés Portugal

Email
Telefone Sede

(chamada p/ a rede fixa nacional)

Redes Sociais

© 2023 Federação Portuguesa de Golfe. Todos os direitos reservados