Notícias

Tó Rosado está de volta

“Infelizmente não tenho jogado porque não tenho nenhum patrocínio. Joguei este torneio porque era ao pé de minha casa”, disse à Tee Times Golf o algarvio residente nos arredores de Pretória.

Pouca sorte esta falta de financiamento acontecer exatamente depois de em 2017/2018 ter conseguido o cartão para a época seguinte sem necessitar de passar pela Escola de Qualificação, como nos torneios anteriores. Havia um progresso evidente.

“Tenho ainda a esperança de arranjar algum patrocínio para fazer o resto da temporada”, acrescentou, depois de um resultado agregado de 148 pancadas, 4 acima do Par, apresentando voltas de 70 e 78.

“Tive uma boa primeira volta, mas não joguei bem no segundo dia. Tive dificuldades em adaptar-me ao vento forte e falhei o cut por 1 shot, acabando bogey-bogey. Paguei o preço de não estar rodado”, explicou o campeão nacional de 2009.

Se António Rosado ainda não conseguiu pontuar para a Ordem de Mérito do Sunshine Tour de 2018/2019, pelo contrário, o outro português membro deste circuito, Stephen Ferreira, está a viver a sua melhor época de sempre, com destaque para dois 7.º lugares, em abril no Zanaco Masters (-10) e em junho no Sun City Challenge (+1).

Uma vez mais, foi ele o melhor português no Sun Carnival City Challenge, que terminou nesta sexta-feira, ao integrar o grupo dos 22.º classificados, com 217 pancadas, 1 acima do Par, após voltas de 72, 74 e 71.

Stephen Ferreira, residente no Zimbabué, já esteve há dois meses no top-25 da Ordem de Mérito do Sunshine Tour e mantém-se numa boa 28.ª posição.

“O meu jogo está a começar a entrar agradavelmente nos eixos. Na época passada senti dificuldades com o putter e tenho trabalhado para tentar ter uma média mais baixa de putts por volta. Isso está a fazer toda a diferença esta temporada”, comentou Stephen Ferreira à Tee Times Golf.

Com efeito, em 2017/2018 a sua média de putts por volta foi de 31 e em 2018/2019 esse índice baixou para 29,48. E se formos avaliar a média de putts por greens em regulação, então a melhoria foi de 1,85 para 1,79.

O Sun Carnival City Challenge foi conquistado pelo sul-africano Juan C. Ritchie, com 208 (64+72+72), -8. Foi o seu segundo título de carreira no Sunshine Tour, circuito em que foi o 3.º do ranking no final da época transata.

Texto: Hugo Ribeiro

Lisboa, 12 de Agosto de 2018