Notícias

Taça da Federação Portuguesa de Golfe BPI –  Hugo Teixeira é a surpresa entre os finalistas

Hugo Teixeira, de 20 anos, é a grande surpresa da competição, depois de hoje de manhã ter batido o seu companheiro de clube Guilherme Oliva nos quartos-de-final por 4/2 e, de tarde, José Maria Cunha, de Miramar, por 2/1. A sua anterior melhor marca no torneio tinha sido os quartos-de-final em 2015.

“Eu nem estava à espera de vir jogar, estive um bocado longe dos torneios da FPG, mas no Nacional de Clubes tive boas sensações de voltar a jogar e toda a gente me dizia para entrar na Taça, porque normalmente sou bom jogador em match play, porque sou sempre certinho, estou sempre ali no meio e o jogo curto costuma estar afinado. Vinha com expectativas de quartos-de-final, mas nunca pensei que fosse jogar uma final”, disse Hugo Teixeira.

Vasco Alves, internacional português de 18 anos, “arrisca-se” amanhã a ser um vencedor em toda a linha, já que lhe pertenceu o primeiro lugar na primeira fase da competição, em dois dias por pancadas. Hoje, no segundo dia de match play, eliminou dois companheiros das seleções nacionais, de Miramar, Daniel Rodrigues nos “quartos”, por 3/2; e Pedro Neves no 20.º buraco, o segundo do ‘play-off.

“Tive claramente dois matches muito difíceis, frente a dois jogadores, que, além de adversários, são amigos, e que sabia que iam ossos duros de roer”, disse. “Sinto-me muito feliz, não estava nada à espera, não treinei muito estas duas semanas, vim aqui para fazer o melhor possivel, e talvez o facto de não ter treinado tanto tenha feito com que aceitasse melhor os erros. Para já tudo tem corrido bem, e para amanhã, é como o Mourinho dizia, as finais não se jogam, ganham-se.”

Para Vasco Alves, o match frente a Pedro Neves, para as meias-finais, talvez tenha sido o melhor que já jogou. “Tenho ideia que fizemos duas ou três pancadas abaixo do par. Vinha a perder dois após 13 buracos e fiz birdies nos 14, 15 e 16, e empatámos os restantes a par. No play-off, começámos por empatar a birdie no 1, depois no 2 o Pedro falhou o putt de metro e meio para par.”

Na prova feminina, realizaram-se hoje apenas as meias-finais, com Sofia Sá a derrotar a sua
companheira de clube Leonor Medeiros, por 2up. Leonor chegou a estar a perder por quatro buracos, mas encetou uma excelente recuperação e só cedeu no 18.º e último buraco regulamentar.

“Foi um match em que entrei logo a ganhar e isso deu- me muita confiança para os outros buracos”, afirmou Sofia Sá. “Estive sempre em vantagem. Não deixou de ser um match renhido, ainda por cima a jogar com uma colega de clube e amiga. Sinto-me bem e confiante depois de um quarto lugar na fase de stroke play e estar entre as duas melhores é um grande orgulho para mim. E amanha é jogar o meu jogo!”

Já Beatriz Themudo, que há dois anos venceu este ‘major’ amador nacional também em Ribagolfe, mas no campo 2, afirmou em relação ao encontro com Sara Gouveia, com a qual havia perdido nas meias-finais da edição passada: “Foi um bom match, em que virei a perder por um e depois entrei forte na segunda volta, ganhando 5 buracos em 6. Estou confiante no meu jogo, vou encarar a final de amanhã com tranquilidade.”

A final masculina começa pelas 9h, a feminina pelas 9h08. São ambas em 36 buracos regulamentares e não em 18 como até aqui.

Na fotografia, Hugo Teixeira durante a competição © FILIPE GUERRA/GOLFTATTOO/FPG

Gabinete de Imprensa da FPG

Lisboa, 08 de outubro de 2018