Notícias

Stephen Ferreira apura-se para o The Tour Championship do Sunshine Tour

«Espero ter uma boa semana no The Tour Championship», disse Stephen Ferreira à Tee Times Golf, em exclusivo para Record, apesar de uma primeira volta aquém do que desejava, em 76 pancadas, 4 acima do Par, que deixa-o empatado com o sul-africano Callum Mowat num modesto 37.º lugar.

O português do Zimbábue julga poder recuperar as sensações que levaram-no a brilhar durante três voltas na semana passada e a lutar pela primeira vez na sua carreira por um título do Challenge Tour.

Com efeito, o Dimenson Data Pro-Am – sim, este é o nome correto da conceituada prova, e não Pro-Am da África do Sul como muito se escreveu em Portugal, pois existem dezenas de Pro-Ams naquele país ao longo da época – foi o terceiro da série de três eventos que contaram simultaneamente para o Challenge Tour, a segunda divisão europeia, e o Sunshine Tour.

A competição decorreu na “casa” do ex-n.º1 mundial Ernie Els, em Fancourt, nos percursos Montagu, Outeniqua, The Links e de novo Montagu, por esta ordem, da primeira à quarta volta.

«Os campos e o torneio são provavelmente os meus favoritos no Sunshine Tour. Fancourt é incrível e recomendo sinceramente a qualquer um que venha cá jogar quando tiver oportunidade», elogiou o português do Zimbábue, que vai, pela primeira vez, terminar uma época no top-50 do ranking da África do Sul e ainda pode sonhar com uma classificação no top-20 no final desta semana. Seja como for, será sempre o melhor ranking de sempre de um português no Sunshine Tour.

Stephen Ferreira era 3.º classificado aos 18 buracos e 4.º aos 36, com voltas de 64 e 68 pancadas, sendo que a primeira volta, de 8 abaixo do Par do Montagu, foi o seu melhor resultado de sempre no Challenge Tour.

«Fiquei muito feliz com as minhas duas primeiras voltas. Joguei algum golfe espantoso. Senti-me muito confortável com o meu jogo e estava confiante para as duas últimas voltas», comentou o terceiro melhor português no ranking mundial.

Mesmo depois da terceira volta, em 73 pancadas, o português ainda se mantinha no top-10, exatamente em 10.º.

Foi após esse terceiro dia que estabeleceu-se o cut e Stephen Ferreira foi o único português a seguir em frente.

Ricardo Melo Gouveia falhou o seu terceiro cut seguido nos três torneios sul-africanos do Challenge Tour de 2020, desta feita no 163.º lugar entre 180 participantes, com 225 pancadas, 8 acima do Par, apresentando cartões de 75, 76 e 74.

A última volta é que foi um desastre para Stephen Ferreira, em 78 pancadas, atirando-o do 10.º para o 51.º lugar final, com um agregado de 283 (-6), que rendeu-lhe um prémio de 1.962 euros.

«Não joguei tão bem quanto desejava e no último dia lutei nos greens e senti dificuldade em ler as linhas. Também fiz algumas más seleções de tacos em buracos que custaram-me algumas pancadas», lamentou-se.

Para além de ter descido de 29.º para 31.º na Ordem de Mérito do Sunshine Tour que termina esta semana, Stephen Ferreira também caiu do 24.º para o 29.º posto na Corrida para Maiorca, o ranking do Challenge Tour.

Mesmo assim, um top-30 na hierarquia da segunda divisão europeia após os três primeiros torneios da temporada de 2020 é uma posição positiva, para além dos seis mil euros angariados em prémios oficiais.

O Challenge Tour só regressa agora a 7 de maio com o Prague Golf Challenge.

 

Hugo Ribeiro / Tee Times Golf

Lisboa, 21 de fevereiro de 2020

Fotografia © EJ Langner / Gallo Images