Notícias

Solverde Campeonato Nacional PGA  –  SOFIA SÁ E TOMÁS SILVA SEGURAM LIDERANÇA

Hoje era um dia importante para Susana Ribeiro, a campeã nacional de 2015, 2016 e 2017 tentava atacar o comando, mas a profissional do Guardian Bom Sucesso Golf só fez 1 birdie, logo no seu primeiro buraco (o 10.º) e as 81 pancadas da sua segunda volta, 10 acima do Par, não permitiram-lhe incomodar Sofia Sá que também não teve um bom dia.

A jovem amadora de apenas 15 anos, sempre discreta, também só converteu 1 birdie (tinham sido 5 na véspera), para uma segunda volta de 78, 7 acima do Par e mais 8 do que no primeiro dia.

Mas o certo é que, apesar de tudo, a liderança de Sofia Sá passou de 1 escassa pancada ontem para 4 hoje, já que apresenta um total de 148 (+6), face às 152 (+10) de Rusana Ribeiro.

Quem aproveitou o chamado ‘moving day’ foi Mónia Bernardo, campeã nacional em 2007, 2001 e 2014, mas há alguns anos afastada da competição a sério, dedicando-se ao ensino. A madeirense residente no Algarve fez o melhor resultado do dia no torneio feminino de 75 (+4), com 3 birdies, e está com um total de 153 (+11) a apenas 1 pancada de Susana Ribeiro.

No torneio masculino, Tomás Silva dá-se cada vez melhor com as condições de jogo do histórico campo de Espinho e se ontem fez uma das suas melhores voltas em 63 (-8), hoje controlou a liderança com uma segunda ronda de 69 (-2), para dilatar o seu comando de 3 para 5 pancadas, com um total de 132 (-10), um bom resultado.

O campeão nacional de 2018, a tentar o bicampeonato, teve um percalço quando perdeu 3 pancadas nos buracos 15 e 16, mas reagiu em grande com birdies nos buracos 17 e 18.

E se ontem era perseguido por Tomás Bessa e Tomás Melo Gouveia, hoje o seu ‘delfim’ é João Carlota, já por três vezes vice-campeão nacional, que somou boas voltas de 68 (-3) e 69 (-2) para assumir a segunda posição.

Quem está a distinguir-se pela segunda semana seguida entre profissionais é Pedro Silva, o jovem de 17 anos que na semana passada foi o melhor amador no Open de Portugal @ Morgado Golf Resort do Challenge Tour e que agora ocupa também esse estatuto com um bom 5.º lugar entre 42 participante.

Pedro Silva é um dos raros quatro jogadores a jogarem os dois dias abaixo do Par e junta voltas de 70 (-1) e 69 (-2), para um agregado de 139 (-3), empatado no tal 5.º posto com Tomás Bessa (66+73).

No torneio de seniores, Joaquim Sequeira poderá recuperar o título e surge na frente aos 18 buracos, com 74 pancadas, 3 acima do Par.

Tem atrás de si o campeão do ano passado, José Dias, com 76 (+5). Também nesta prova há um amador a sobressair, Fernando Serpa em 3.º com 77 (+6).

O Solverde Campeonato Nacional PGA são patrocinados pela Câmara Municipal de Espinho, Federação Portuguesa de Golfe, Mateus Rosé, Audi e Hotel Apartamento Solverde (alojamento oficial do torneio). Apresentam como parceiros media a SportTV, Porto Canal, Record, Portugal Golf & Islands, Golf 2 All, GolfTattoo e Cision.

Declarações

Tomás Silva (campeão nacional em 2018)

«Ontem foi um bom dia de trabalho. Comecei muito forte e consegui aproveitar o que me foi dado.

«Hoje, não comecei como pretendia mas o resultado era pior do que o jogo. Não senti que estivesse a dar mais shots, simplesmente estava a colocar a bola nos lados errados.

«Mantive-me calmo e a única coisa que podia fazer era manter-me focado na minha rotina e deixar as coisas acontecer. Consegui dar a volta e colocar-me com -3. Fiz unicamente um mau swing no buraco 15 e consegui terminar forte.

Foi importante para distanciar-me de quem vem atrás, mas amanhã será como se tivesse tudo igual. Shot a shot e não pensar em controlar o resultado. No final logo se fazem as contas.

«Quanto ao campo, está agradável mas os greens estão um bocado saltitões. Os putts pequenos tornam-se super difíceis, até porque os greens estão a uma velocidade considerável, embora não tao rápidos como nos anos anteriores.

«Para compensar, as posições das bandeiras estão mais apertadas que nos anos anteriores e o vento hoje fez-se sentir um bocadinho mais».

Sofia Sá (n.º1 amadora nacional no Ranking BPI/FPG)

«Tanto hoje como ontem não joguei nada de especial. a diferença foi que ontem os putts entraram e hoje nem por isso. Tenho estado a falhar os fairaways e isso dificulta o shot ao green.

«Pode ter sido importante ter jogado este ano a Taça Manuel Agrellos (para habituar-se a defrontar profissionais), embora eu encare este torneio como se fosse um torneio normal e não pense muito nisso.

«Claro que é diferente (jogar ontem com Mónia Bernardo, hoje com Susana Ribeiro, duas ex-tricampeãs nacionais) e sinto um grande respeito por jogar com elas, porque já foram como eu e isso é importante

«O objetivo (para o torneio) era ganhar experiência e não perder o jogo com que estava (antes do torneio) embora não esteja a jogar o meu melhor jogo. Vamos ver como corre amanhã e quem sabe manter a liderança e ganhar o torneio a nível absoluto».

Mónia Bernardo (campeã nacional em 2007, 2011, 2014)

«Estou feliz por estar cá. É o torneio que gosto mais de jogar é sempre bom este reencontro com os outros profissionais. Estou a jogar tranquila. Não posso exigir muito de mim, não tenho jogado porque, felizmente, tenho imenso trabalho como treinadora. E como não tenho jogado, o nível de exigência é mais baixo, mas tentando sempre dar o melhor de mim».

FOTOGRAFIAS: 1 – Sofia Barroso Sá. 2 – Susana Ribeiro. 3 – Tomás Silva. 4 – Joaquim Sequeira.

GABINETE DE IMPRENSA
DA PGA DE PORTUGAL