Notícias

Santos e Lima qualificam-se para as últimas duas voltas do Quénia Classic

O profissional algarvio, depois de ter registado 68 pancadas na volta inaugural, voltou hoje a completar o percurso Par 71 com três pancadas abaixo do Par, assinando seis birdies (nos buracos no 6, 7, 9, 10, 11, 14) e um triplo bogey no green do 15.

Ricardo Santos chegou a figurar no 11.º lugar do leaderboard ao cabo de 14 buracos, com seis pancadas abaixo do Par na volta desta quarta-feira, menos nove no total, mas “um mau “shot” no buraco errado”, como avançou, empurrou-o para o 34.º posto da classificação, com um agregado de 136 shots (-6).

“Estava a correr lindamente, a jogar muito bem e com menos seis. No buraco 15, falhei o drive à direita e a bola ficou nos arbustos. Tive que dropar com penalidade e, mesmo com o drop, só tinha a opção de jogar para o lado, ficando ainda longe do green. Fui ao bunker, dei um bom shot, mas a bola não rolou o que esperava e fiquei a dois metros da bandeira. Apesar de um bom putt, a bola tocou no buraco, mas não entrou”, descreveu Santos, em declarações à Lusa.

Apesar da descida na classificação, liderada pelo sul-africano Daniel Van Tonder com um total 129 pancadas (65+64), duas de vantagem sobre o escocês David Drysdale e o compatriota Justin Harding, o algarvio garante estar a sentir-se “bem em todos os aspetos do jogo, confortável no campo e focado em fazer duas boas voltas” a encerrar a sua participação no evento dotado de um milhão de euros em prémios monetários e dois mil pontos na Corrida para o Dubai.

Tal como Ricardo Santos, de 38 anos, Filipe Lima também conseguiu passar o cut (-4), ainda que no limite, ao completar os 36 buracos iniciais com um total de 138 “shots” (68+70), após os três birdies (6, 14 e 17) e dois bogeys (5 e 13) creditados esta quarta-feira, que o colocaram no 61.º posto.

“Hoje foi um dia mais difícil. Não joguei muito bem, mas consegui manter-me com um score abaixo do Par e, por isso, fiquei muito contente. Passar o cut é muito bom, sobretudo ao fim de quase um ano a jogar muito pouco e em que só consegui, por quatro vezes, o apuramento para as últimas duas rondas”, confessou Lima, que está a jogar no Quénia o seu segundo torneio da temporada.

Pedro Figueiredo, por sua vez, falhou o cut pelo segundo torneio consecutivo, ao contabilizar 149 pancadas (76+73), sete acima do Par, depois de ter feito três birdies (6, 11 e 16), dois bogeys (3 e 14) e um triplo bogey (15) na segunda volta.

 

Lusa

Lisboa, 24 de março de 2021

Fotografia © Pedro Figueiredo