Notícias

III Open de Portugal de Pitch and Putt

O presidente da Federação Portuguesa de Golfe, Miguel Franco de Sousa, e o Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Coimbra, Carlos Cidade, estiveram presentes no jantar de boas-vindas.

O campeão deixou o vice-campeão, João Filipe Monteiro (49-47-53), a quatro pancadas de distância, mas travou com este um duelo emocionante até ao fim. Tinham iniciado a última volta empatados na frente com -12 e, após 15 buracos, Espírito Santo tinha sobre ele uma pancada de vantagem apenas; mas fez birdie no 16 e no 18 viu o seu rival acabar mal, com duplo bogey.

“Foi difícil, o João Monteiro deu-me luta até ao último buraco”, afirmou Espírito ao Gabinete de Imprensa da FPG, ele que acaba de deixar o Clube de Golfe de Rilhadas. “Sinto-me muito feliz, porque é uma vitória na minha terra natal e no meu clube original”, acrescentou.

João Monteiro, de 30 anos, disse: “Joguei o meu melhor, acabou por ser nos detalhes, que se decidiu, especialmente nos putts de média e longa distancia – o Hugo meteu alguns e eu não meti nenhum. No 18 arrisquei tudo, sabendo que um duplo bogey chegava para segurar o segundo lugar.”

O pódio foi preenchido na íntegra por jogadores da “casa”, já que o jovem João Iglésias, campeão nacional de sub-12 no golfe convencional em 2016, terminou no terceiro lugar com 150 (50-50-50).

No quarto lugar ficou o espanhol que defendia o título, Thomas Artigas, com 152 (48-53-51). E António Tendeiro completou o top-5 e foi o melhor sénior com 152 (52-48-53). Destaque ainda para o sexto lugar da jovem Diana Pacheco, que, com 154 (52-53-49), foi a primeira classificada em senhoras.

Gabinete de Imprensa da FPG