Notícias

FPG testa sistema inovador na manutenção do campo de golfe do CNFG do Jamor

Consciente de que a água é um fator limitante para o desenvolvimento sustentável do golfe, a FPG promoveu o primeiro teste de aplicação da tecnologia Dryject+SAP em campos de golfe, tendo iniciado, em agosto de 2020, em parceria com a Áreagolfe/Vibeiras e a Agroinsider, a implementação de um projecto-piloto que visa a redução dos volumes de água consumidos na rega do campo de golfe do Jamor através da injecção de poliacrilatos de potássio (SAP) nos solo, os quais promovem a retenção de água ao nível das raízes, permitindo a disponibilização deste recurso de acordo com as necessidades das plantas.

O teste inicial, que decorreu de agosto a setembro de 2020, incidiu em tees do campo do Centro Nacional de Formação de Golfe do Jamor tendo sido monitorizada a evolução e comportamento do relvado, considerando o efeito das poliacralimidas na retenção da humidade e na manutenção do teor de clorofila da relva.

A presença de SAP teve um efeito significativo no teor de humidade do solo da área sujeita a aplicação dos poliacrilatos de potássio, apresentando um teor de humidade muito elevado do solo ao fim de 12 dias da aplicação, em presença do regime de rega instalado. Numa situação de não rega e partindo os tees com SAP e sem SAP de uma situação de solo muito húmido concluiu-se que o tee sem SAP atingiu normalmente a situação de solo seco (com TºC média superior a 30ºC) em metade do tempo quando comparado com o tee com SAP.

De acordo com o Eng. Joaquim Gonçalves, “os resultados desta experiência corroboram o interesse que poderá representar a utilização dos poliacrilatos de potássio na melhoria da eficiência hídrica na rega das áreas relvadas, com especial relevância nos campos de golfe.” De facto, a experiência permitiu verificar que o tee com SAP conseguiu manter a humidade do solo durante 10 dias em valores estáveis e favoráveis quando comparado com o tee sem SAP que nas mesmas condições viu o teor de humidade do solo reduzido até a uma situação de solo muito seco. “Em situações de humidade relativa elevada do ar a presença de SAP no solo pode proporcionar a humidade necessária às plantas sem nenhuma necessidade de rega diária.”, salienta o responsável pelo Departamento Agroflorestal e Sustentabilidade da Vibeiras.

Segundo o coordenador do ensaio, fundador da Agroinsider, Professor associado da Universidade de Évora, Professor Doutor José Rafael Marques da Silva, “O DryJet+SAP provou em situações muito concretas e a uma escala reduzida (testes preliminares Jamor) ser uma ferramenta muito interessante em poupar de forma significativa a água de rega dos campos de golfe e consequentemente tudo o resto que lhe está associado, nomeadamente a redução dos custos energéticos (bombagem) e a sustentabilidade de uso do recurso.  Não tenho dúvidas que a tecnologia é promissora e com resultados espetaculares à escala local, urge por isso analisá-la a outras escalas de forma a perceber o seu comportamento em: i) distintos tipos de solos e fisiografías; ii) distintos gradientes climáticos; iii) distintos níveis de precipitação; e iv) distintos níveis de gestão como forma de ultrapassar as limitações provocadas pelos anteriores factores.”

Considerando os resultados obtidos com o teste inicial, a FPG pondera o alargamento da aplicação desta tecnologia a outras áreas de jogo do campo de golfe, nomeadamente tees e fairways, ainda em 2021.

Vídeo Dryjet SAP.

 

Gabinete de Imprensa da Federação Portuguesa de Golfe

Miraflores, 22 de fevereiro de 2021

Fotografia © Vibeiras