Notícias

‘Figgy’ falha Hong Kong por doença

«Estou entusiasmado por ir iniciar a minha quarta época no European Tour no Honma Hong Kong Open. Vamos fazer com que este seja um ano ainda melhor», escreveu (em inglês) Ricardo Melo Gouveia nas redes sociais.

Quatro épocas consecutivas na primeira divisão do golfe profissional europeu era um recorde nacional detido por Ricardo Santos (de 2012 a 2015) e foi agora igualado por Ricardo Melo Gouveia.

Será a segunda participação do jogador do Team Portugal no Honma Hong Kong Open, de 1,75 milhões de euros em prémios monetários, depois de no ano passado ter sido 68.º (+10). Em 2016 e 2015 o português residente em Londres optou por não deslocar-se àquele território chinês.

Daniel Silva nunca jogou o Open que celebra a sua 60.ª edição em 2018. Filipe Lima foi o primeiro português a fazê-lo, por três vezes, e a sua melhor classificação foi um 24.º lugar (-3) em 2004. Ricardo Santos detém o melhor resultado português na prova com um 15.º posto (-6) em 2013.

Pedro Figueiredo vai tornar-se no quinto português a competir no European Tour com um cartão para jogar numa época inteira, mas a sua estreia foi adiada devido a uma gripe que complicou-se e degenerou numa série infeção respiratória, da qual ainda se sente em convalescença.

«Quando cheguei do Dubai (da viagem de Ras Al Khaimah) apanhei uma gripe. Talvez por estar exausto da época grande, estava com as forças mais em baixo e o corpo mais débil. O vírus passou para os pulmões e fiquei com uma infeção respiratória, com muita febre e vómitos. Não fui ao hospital mas fiquei duas semanas em casa sob medicação», explicou à Tee Times Golf, em exclusivo para Record.

Antes de qualificar-se para o European Tour, Pedro Figueiredo estava alguns lugares de fora da lista de inscritos do Open de Hong Kong, mas com o apuramento entrou logo diretamente no torneio.

Tinha, por isso, previsto iniciar logo ali a época de 2019 e o bilhete de avião estava comprado, com viagem no dia 18. Mas quando viu-se forçado a faltar a um compromisso com o Comité Olímpico de Portugal, no passado dia 8, por sentir-se incapaz de sair da cama, percebeu-se que a doença era grave. Poderia estar em causa juntar-se ao seu amigo Ricardo Melo Gouveia em Hong Kong e ficou logo fora de hipótese jogar o Solverde Campeonato Nacional PGA que terminou no Sábado.

«Deveria partir no Domingo para Hong Kong, mas Sábado ainda não estava bem. Por outro lado, não tinha treinado nada, nem a nível de golfe, nem de preparação física. Também perdi algum peso porque estive dois ou três dias sem comer. Não estavam reunidas as condições para viajar e achei melhor ficar uma semana em Portugal a preparar-me fisicamente e tecnicamente. Se tudo correr bem, viajarei no próximo Domingo para as Maurícias e depois jogo mais duas semanas na África do Sul», acrescentou o atleta do Sport Lisboa e Benfica e profissional do Quinta do Peru Golf & Country Club.

Filipe Lima também se inscreveu no Open de Hong Kong, mas ficou a nove lugares de fora, na lista de reservas.

O Honma Hong Kong Open presented by Amundi joga-se de quinta-feira a Domingo, em Fanling, num campo composto pelos melhores buracos dos dois percursos do Hong Kong Golf Club – o New Course e o Eden Course.

O inglês Tommy Fleetwood, o 9.º do ranking mundial, é o jogador melhor classificado em prova, embora os olhos estejam mais postos no norte-americano Patrick Reed, o campeão do Masters, que terminou na semana passada a época de 2018 como n.º2 da Corrida para o Dubai do European Tour, sendo o 15.º no ranking mundial.

Outras grandes figuras presentes são os espanhóis Sergio Garcia e Miguel Ángel Jiménez, este campeão por quatro vezes em Hong Kong, sendo um candidato a um 5.º título, mesmo aos 54 anos.

Por Hugo Ribeiro

Foto: Ricardo Melo Gouveia

Lisboa, 22 de novembro de 2018