Notícias

Campeonato Nacional de Mid-Amateur & Seniores Pitch & Putt – Hugo Espírito Santo heptacampeão e António Tendeiro perto da dobradinha

A forte concorrência que enfrentou, encabeçada pelo seu companheiro de clube António Tendeiro – que se sagrou não só vice-campeão mid-amateur como campeão nacional sénior – só veio dar mais valor a mais este triunfo. E com Rui Vaz de Castro vice-campeão sénior, a Quinta das Lágrimas tudo levou… Menos o net, conquistado por Rui Meireles (Paredes) em ambos os escalões

N.º 4 no Ranking Mundial Amador de Pitch & Putt (WPPAR), Espírito Santo aguentou a liderança conquistada na volta matinal com 51 pancadas, 3 abaixo do Par 54, vencendo com a vantagem mínima sobre Tendeiro após concluir a segunda com 52 (-2), para um total de 103 (51-52), -5.

“Estou satisfeito, foi uma vitória difícil. Tive os meus colegas da Quinta das Lágrimas sempre à perna, foi uma luta muito acesa até final, valendo-me o birdie que fiz no 17”, afirmou Espirito Santo, que ainda não se sente na sua plena forma.

“Comecei a época neste mês de janeiro, sinto que só daqui a duas semanas é que irei estar quase pronto. Ainda fiz alguns erros, nomeadamente nos chips; e do tee de saída no 8, de tarde, fiz um shank que foi um erro muito grave porque me deu um duplo bogey. É sinal de que ainda me faltam algumas horas de treinos.”

António Tendeiro, por sua vez, somou 104 (54-50) para conquistar o título de vice-campeão mid-amateur e de campeão sénior, em ambos os casos com a vantagem mínima sobre Rui Vaz de Castro (105 52-53), 3.º em mid-amateurs e 2.º em seniores.

Arnaldo Paredes (58-49), da Quinta das Lágrimas, que defendia o título em seniores (conquistado em 2018, pois em 2019 não se jogou neste escalão), fechou com a melhor volta do torneio, de -5, completando com Pedro Franco Dias (57-50), da ANSGP, o lote de jogadores que concluíram com um agregado abaixo do Par – 107 (-1) – na classificação geral.

“O golfe é um pouco isto, há dias em que as coisas saem, hoje foi assim para mim. É muito agradável”, disse António Tendeiro, de 55 anos, praticante apenas desde 2014. “Eu estava descontraído, treinei um pouco e é mesmo um conjunto de factores que é necessário para ter sucesso em provas de golfe. Mas amanhã pode estar tudo ao contrário.”

“Gosto do pitch & put, é variante engraçada do golfe, menos demorada de jogar, mais atrativa. Acho que é uma modalidade que a FPG devia apoiar mais para termos mais gente a praticar”, acrescentou Tendeiro após conquistar o seu primeiro título nacional.

 

Gabinete de Imprensa da FPG

Lisboa, 26 de janeiro de 2020

Fotografia © Filipe Guerra/GolfTattoo/FPG

Legenda: Rui Meireles (vencedor net em ambos os escalões), António Tendeiro (campeão sénior e vice-campeão mid-amateur, Hugo Espírito Santo (campeão mid-amateur) e Rui Vaz de Castro (vice-campeão sénior)