Notícias

88.º Campeonato Internacional Amador de Portugal  – Vítor Lopes inultrapassável lidera para última volta

Vítor Lopes procura tornar-se o terceiro jogador da “casa” a conquistar o Internacional de Portugal nas últimas 11 edições, depois de Pedro Figueiredo em 2008 (no Estela Golf Clube) e de Gonçalo Pinto em 2013 (no Montado). O jogador do CG Vilamoura e da seleção nacional joga a jornada decisiva a partir das 10h18 no grupo de honra com Friedrichsen e Gill.

Quando falta uma jornada para o fim, há mais três portugueses no top-10: Afonso Girão (72-68-70) está empatado em 7.º com o espanhol Alvaro Veiga, ambos com 210 (-6). E Pedro Lencart (71-71-70) e Daniel Rodrigues (70-71-71) estão no trio dos 10.º com 211 (-4), juntamente com o dinamarquês Nicolai Hojgaard.

“Voltei a jogar bom golfe, mas voltei a cometer o mesmo erro no 14, fazendo chip e três putts para duplo bogey”, afirmou Vítor Lopes ao Gabinete de Imprensa da FPG. “Não sei o que se passa, mas amanhã espero vingar-me nesse buraco. Vou encarar a última volta da mesma maneira que nos outros dias, tentando acertar muitos fairways e greens e jogar o meu melhor golfe, com o apoio de toda a gente.”

O cut deveria ter sido feito após a terceira volta, para os 40 primeiros e empatados entre os 120 jogadores presentes na prova. Mas o nevoeiro matinal que hoje se fez sentir no palco do Montado (e que está previsto também para a última volta), adiando por mais de três horas o arranque da jornada, fez com que o cut fosse antecipado para o fim da segunda volta, deixando em prova todos os que então somavam um agregado máximo de seis acima do par, num total de 79 atletas.

O português Vasco Alves passou o cut no limite e hoje igualou as 70 pancadas de Afonso Girão e Pedro Lencart para subir para o grupo dos 48.º, do qual também faz parte Pedro Silva (hoje com 76), com 220 (+4). Francisco Matos Coelho, na sua estreia no torneio com apenas 14 anos, marcou 75 caindo do trio dos 11.º para os 28.º, com 216. João Maria Pontes (74) está nos 62.º e Martim Baptista (79) em 77.º.

Na Taça da Nações, por equipas, tudo acabou por se decidir em 36 buracos e não em 54 como estava previsto. Sendo assim, manteve-se a classificação de ontem, com Espanha A a sagrar-se vencedora com a vantagem mínima sobre Portugal A, que alinhou com Vítor Lopes, Pedro Lencart e Vasco Alves.

Gabinete de Imprensa da FPG

Fotografia: Vítor Lopes no 88.º Internacional de Portugal © Filipe Guerra/GolfTattoo/FPG