Notícias

12.º CAMPEONATO NACIONAL ABSOLUTO DE PITCH PUTT – Miguel Pinheiro surpreende com vitória histórica

O jovem paredense tornou-se assim um dos mais jovens campeões portugueses da especialidade. Em 2014, João Maria Pontes, então em representação do Oporto Golf Club, venceu com apenas 13 anos, depois de Hugo Vieira, também do Oporto, ter vencido em 2012, no mesmo ano em que fez 14 anos. Pontes revalidaria o título em 2015. Diogo Gambini conquistou a edição de 2016 com 15 anos.

“Houve muito treino e muita dedicação, penso que isto foi uma consequência do meu trabalho”, disse Miguel Pinheiro após aquele que foi o seu segundo título nacional em pitch & putt – já tinha sido campeão sub-12, além de vitorioso no Open de Braga. “Tenho sempre a garra de vencer e acreditava que podia fazê-lo, mas sabia que era difícil, muito difícil, porque o Hugo já tem muita experiência e muitos títulos nacionais e internacionais.”.

Depois de um primeiro resultado de 51 pancadas, 3 abaixo do Par 54, que o deixou empatado no segundo lugar com Armando Ramalho (Seniores), ambos a 3 ‘shots’ do líder Espírito Santo, Miguel Pinheiro fechou com 48 (-6) numa volta sem qualquer bogey, totalizando 99 pancadas (-9) para vencer com três à melhor sobre Espírito Santo (102, 48-54). Em dias distintos, foram eles os autores das melhores voltas do torneio.

“Parabéns ao Miguel, que meteu os putts de todo lado e fez um chip-in no buraco 16”, disse Espírito Santo, acrescentando: “Eu joguei bem, apenas não fui feliz na concretização dos putts. Mas isto é golfe. Umas vezes entram, outras vezes não.”.

Pedro Franco Dias (Seniores) foi terceiro com 104 (54-50). “Saio com sentimentos mistos”, escreveu nas redes sociais. “Cometi demasiados erros na leitura da velocidade dos greens, que levaram a quatro bogeys em cada dia. Mas por outro lado no primeiro dia fiz um hole-in-one e dois birdies para um modesto resultado de 54 (Par). E no segundo dia fiz 8 birdies…”.

A completar o top-5, houve mais dois jogadores da Quinta das Lágrimas – José Gaspar em 4.º, com 106 (52-54), e António Tendeiro, em 5.º, com 107 (54-53) – e outro de Paredes – Tomás Ribeiro, com as mesmas 107 (53-54) de Tendeiro. Foram estes os jogadores que, no cômputo dos 36 buracos de jogo, apresentaram totais agregado abaixo do Par.

 

Gabinete de Imprensa da Federação Portuguesa de Golfe

Miraflores, 12 de outubro de 2020

Fotografia © Vasco Vilhena / GolfTattoo / Federação Portuguesa de Golfe